Política

Política

Wilson Lima está com conversa para boi dormir sobre a lei do gás, diz Josué Neto

O presidente da Assembleia Legislativa afirmou que é uma vergonha a população ainda não ter uma lei que beneficie o Estado


João Luiz Onety
05/08/2020 às 13h25min


Durante a sessão plenária virtual na Assembleia Legislativa do Amazonas nesta quarta-feira (5), o presidente da casa, deputado Josué Neto (PRTB), que ainda está participando virtualmente após sofrer um acidente de jet ski no último dia 26 de julho, comentou sobre o anúncio do Governo Federal sobre o novo marco legal para o mercado de gás natural, algo que amplia a possibilidade de investimentos no setor em todo o país. 

 

Na opinião dos deputados Josué Neto (PRTB) e Serafim Corrêa (PSB), que se pronunciaram sobre o tema, isso não deve acontecer no Amazonas, pela falta de compromisso do governador Wilson Lima. 

 

Estimativas da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia indicam que a nova legislação deve reduzir o preço do gás para a indústria de US$ 13 para US$ 6 por milhão de BTU (unidade térmica britânica), e do botijão de R$ 80 para R$ 60. Também são estimados R$ 630 bilhões de investimentos e 1 milhão de empregos diretos e indiretos em dez anos.

 

Os parlamentares afirmaram que são 716 lotes para a exploração de gás natural em todo o Brasil, 16 deles, no Amazonas. Com a burocracia do Estado, dificuldades no sistema tributário e pelo fato do empresário baiano Carlos Suarez  ter 83% da Cigás, empresa que monopoliza a exploração do gás natural no Amazonas, será muito improvável que alguém queira investir aqui, afirmaram os deputados Serafim Corrêa e Josué Neto.

 

No último dia 23 de julho, o governador havia prometido enviar em até uma semana um novo projeto de lei do gás, algo que não ocorreu.

 

Veja no vídeo:

  

 

Na ocasião, o governador afirmou que tem defendido a abertura do mercado do gás, apesar de ter vetado o projeto de lei Nº 153/2020 de autoria do deputado estadual Josué Neto (PRTB) sobre a prestação do serviço público de distribuição de gás natural canalizado sob o regime de concessão e sua regulamentação, comercialização e condições de enquadramento do consumidor livre, autoprodutor e autoimportador no mercado de gás no Amazonas.

Durante a sessão plenária desta quarta-feira (5) Josué desmentiu essa promessa de Wilson ao dizer que o governador havia se comprometido com a desburocratização da política tributária do estado para atrair investimentos de empresas farmacêuticas, cosméticos, turismo, gás natural, extrativismo, etc.

´´O governador está prometendo isso há 21 meses. Em fevereiro de 2019 aqui na Assembleia e em fevereiro de 2020 durante uma reunião na Federação das Indústrias do Amazonas (FIEAM). Prometer e não cumprir, é pior que mentir senhor Wilson´´

Serafim Corrêa informou que são 58 empresas nacionais e multinacionais que lidam com o gás natural em todo o Brasil, para o parlamentar, com essa dificuldade imposta pelo governo do Amazonas, será muito mais atrativo investir em estados como Sergipe, por exemplo.

A deputada estadual, Joana D´Arc (PR), líder do governo na Assembleia se manifestou durante a fala de Josué Neto, indicando que iria comentar o assunto. No entanto, durante sua parte Joana começou anunciando sua gravidez e logo depois falou sobre a necessidade da castração de cães e elogiou a inauguração de um Centro de Controle de Zoonoses, deixando de lado o tema do gás. Logo após a sessão foi encerrada, sem uma opinião da base governista.


Comentários