image


Amazonas Energia

Formalizada na CMM, agora falta vontade política para que CPI seja instalada

Mesa diretora do Legislativo municipal tem que colocar o pedido na pauta e autorizar o funcionamento da investigação
image Crédito: Divulgação/Assessoria
Há 3 semanas

O requerimento que defende uma investigação rigorosa dos atos da concessionária Amazonas Energia neste período de pandemia, na capital amazonense, já foi formalizado na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Agora, o passo mais importante para que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) seja instalada é a vontade política da mesa diretora do Legislativo municipal.

O autor da proposta de CPI, vereador Rodrigo Guedes (PSC), conseguiu uma boa adesão para o pleito: 21 assinaturas das 14 necessárias para viabilizar uma comissão investigativa. Guedes, que é ex-diretor do Procon Municipal, tomou como bandeira investigar a concessionária, cujas denúncias constantes apontam que a empresa insiste em desobedecer lei estadual e determinações judiciais para que não corte o fornecimento de energia de consumidores enquanto durar o estado de pandemia da Covid.

“Vamos fazer de tudo para enquadrar a Amazonas Energia e fazer com que a empresa cumpra as resoluções e decretos, para que ela ande na linha e não seja mais a inimiga número 1 da população. E essa CPI será o melhor instrumento para tornar isso possível’, afirmou. 

O vereador já antecipou que vai pleitear a presidência do colegiado e que vai conversar com o presidente da casa, David Reis (Avante), para que a CPI se concretize o mais rápido possível.

O Portal Norte de Notícias procurou David Reis para saber se o pedido de CPI entra na pauta da casa na próxima semana, mas ele não retornou às mensagens enviadas via aplicativo de conversa.

O Departamento de Comunicação da casa também foi procurado, sem êxito.

Além de Guedes, assinaram o pedido de CPI os vereadores Amom Mandel (Podemos); Antônio Peixoto (PTC); Caio André (PSC); Sassá da Construção Civil (PT); Daniel Vasconcelos (PSC); Dione Carvallho (Patriota); Elan Alencar (Pros); Fransuá Matos (PV); Ivo Neto (Patriota); Jaildo Oliveira (PCdoB); João Carlos (Republicanos); Lissandro Breval (Avante); Eduardo Assis (Avante); Raiff Matos (DC); Sandro Maia (DEM); Thaysa Lippy (PP); William Alemão (Cidadania); Yomara Lins (PRTB); Raulzinho (PSDB) e; capitão Carpê (Republicanos).

image