Amazonas

Luto

Bumbá Garantido chora suas perdas para o novo coronavírus

Com a morte de Paulinho Faria nesta segunda, o boi vermelho e branco de Parintins já soma dez baixas de seus artistas.


Anilton Junior
22/02/2021 às 19h14min


Mais de 10 mil vidas já foram perdidas para a Covid-19 no Amazonas. Ícones históricos da cultura amazonense estão entre as vítimas do vírus. O boi Garantido tem sido duramente atingido pela pandemia. Com o falecimento de Paulinho Faria nesta segunda, 22, eterno apresentador do boi bumba de Parintins, já são dez pessoas ligadas ao Garantido que faleceram em decorrência do coronavírus.

Enéas Gonçalves, que participou da construção do bumbódromo de Parintins; Marcos Assayag, irmão e empresário de David Assayag, levantador do boi; Geny Medeiros, matriarca da família Medeiros; Mario Uchôa, torcedor ilustre que trabalhava no boi-bumbá; Carlos Melk, Diretor executivo de projetos institucionais; Roci Mendonça, cantora do Boi Garantido e Rafael Marupiara, compositor.

Além dos icônicos Zezinho Corrêa e Klinger Araújo, que fizeram o boi-bumbá de Parintins ser conhecido no mundo todo.

Os levantadores do garantido David Assayag e Márcia Siqueira também contraíram o vírus e derrotaram a covid-19. A esperança por dias melhores cresce a cada vacina aplicada, a cada paciente que se recupera.

O que todos nós queremos é ver o Bumbódromo de Parintins tomado novamente pela paixão ao Garantido e ao Caprichoso. Que a voz de quem perdeu a luta contra o vírus seja lembrada nas toadas, nas danças, na torcida, e no amor ao boi-bumbá.

Comentários