Política

Discurso

Bolsonaro culpa caboclos e indígenas por incêndios na Amazônia

Segundo levantamento do Inpe, o desmatamento na Amazônia cresceu 34,49% entre agosto de 2019 e julho de 2020.


Da redação
22/09/2020 às 17h06min

- Foto: Reprodução


O Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou hoje (22) na abertura da 75ª da Assembleia Geral das Organização das Nações Unidas (ONU) e culpou indígenas, caboclos, imprensa e ONGs pelas queimadas na Amazônia e Pantanal. As declarações ocorreram por vídeo gravado em português.

Sem apresentar provas, Bolsonaro disse que “nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior. Os incêndios acontecem praticamente nos mesmos lugares, no entorno leste da floresta, onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sua sobrevivência, em áreas já desmatadas”.

O Presidente ainda defendeu o agronegócio e diz que há campanhas de desinformação sobre as Amazônia e o Pantanal. “Nosso agronegócio continua pujante e, acima de tudo, possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta. Mesmo assim, somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal”, disse Bolsonaro.


Veja todo o discurso do Presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Geral das Organização das Nações Unidas


Dados

Segundo dados divulgado pelo Projeto de Monitoramento da Amazônia Andina (MAAP), agosto de 2020 foi um mêsde incêndios severos. O aplicativo de monitoramento em tempo real que o projeto usa detectou 646 grandes incêndios na Amazônia brasileira até agosto. E deste total, 88% aconteceram só em agosto, ou seja, foram 569.               

Ainda segundo o aplicativo do MAAP, a maioria dos principais incêndios na Amazônia aconteceram no estado do Pará (37%) e no estado do Amazonas (33%), seguidos por Mato Grosso, Rondônia e Acre. Essas informações podem ser conferidas na imagem abaixo, capturada no dia 1º de setembro pelo MAAP.



Saiba detalhes dos incêndios no Pantanal

Comentários