Política

Amazonas

Asprom faz assembleia para instalar greve contra volta as aulas

Deflagração e instalação da greve dos professores contra voltas as aulas


Da redação
10/08/2020 às 20h23min

- Foto: Divulgação


A assembleia  que aconteceu na tarde desta segunda-feira, na sede do sindicato dos metalúrgicos  teve como objetivo deflagração e instalação da greve do professores contra voltas as aulas dos alunos do ensino médio da rede de escolas estaduais do amazonas, e contou com a presença do cientista do instituto nacional de pesquisas da Amazônia (IMPA) Lucas ferrante, do coordenador  de comunicação do sindicato dos professores e pedagogos de Manaus (ASPROM) Albert melo e da presidente da (ASPROM) Elma Sampaio.

Segundo o coordenador de comunicação da ASPROM, as escolas não tem estrutura para receber os alunos, devido o risco de contaminação em massa da COVID19, e retornar as aulas coloca em risco a vida dos alunos e professores.

“Professores e alunos, terão que pegar ônibus para ir para escolas e voltar para suas casas e sabemos que os ônibus andam hiper lotados, portanto não tem distanciamento nem um dentro dos ônibus, então nossos alunos irão se contaminar dentro dos ônibus e chegando nas escolas de nada vai adiantar as máscaras e o álcool em gel pois ele já está com vírus no sangue, e vai passar esse vírus para os outros alunos e professores” disse.

Ainda segundo o coordenador de comunicação da ASPROM, Albert melo, a greve foi deflagrada pelo motivo que, a Secretaria de Estado de Educação (SEDUC), não querer dialogo e receber os requerimentos feito pela ASPROM, para o retorno das aulas, uma das exigências seria o teste em massa dos alunos e professores.

“Tem que testar os professores e alunos, isso é fundamental para se descobrir quem são os assintomáticos, pois os assintomáticos eles estão doentes sem saber, e ele é mais descuidado é menos preocupado com seus cuidados e acaba transmitindo para os outros, precisamos ter esse quadro mapeado e a SEDUC, já informou que não vai fazer” disse

Segundo o cientista do instituto nacional de pesquisas da Amazônia (IMPA) Lucas Ferrante, existem estudos que mostram que com a reabertura das escolas, os números da COVID19, podem aumentar, ele ainda faz um alerta para um nova onda de contaminação da COVID19.

“Isso vai alavancar o números de casos no amazonas, esse não é o momento de abrir, isso vai fazer que a gente tenha uma nova onda de casos da COVID19, que pode ou não ser mais letal que o primeiro, é importante frisar que esse risco e real, ele ocorreu em todas as cidades que reabriram e existe  estudo mostra que é eminente essa segunda onda para Manaus com essas medidas que nossos políticos estão tomando” disse.

Comentários