image


Justiça

Tristeza: Familiares e amigos dão adeus ao entregador Endrio de Souza

De acordo com a tia do jovem, o entregador foi morto injustamente
image Crédito: Reprodução
Fonte: Alinne Bindá - Há 2 semanas

Amigos e familiares do entregador Endrio de Souza Silva, de 20 anos, prestam o seu último adeus ao jovem e o sentimento de tristeza e boas lembranças tomou de conta dos presentes durante as últimas horas do velório nesta quinta-feira, 1º. Endrio foi velado na igreja Batista Missionaria Kairós, localizada na das Palmeiras, na comunidade da União, Parque 10 de Novembro, Zona Centro-sul de Manaus. O enterro acontece nesta manhã no cemitério na rodovia estadual AM-070.

De acordo com a tia do jovem, Edilene Pereira, ele tinha acabado de completar 20 anos. “Sempre foi um ótimo filho, uma pessoa do bem, sempre gostou de trabalhar pra ajuda dento de casa. É muita injustiça, mataram ele enganado e por isso suplicamos por justiça”, disse.

Cartazes, camisas com fotos na cor branca e diversas homenagens foram os itens usados para homenagear o jovem. 

Endrio foi morto a tiros na noite da última terça-feira, 30, durante uma abordagem policial pelas equipes da Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam). E a família afirma que o entregador foi morto de forma injusta e conta que a polícia o confundio.

Versão da Polícia:

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou por meio de nota, que conforme o relatório de ocorrências, a equipe policial estava pela área da comunidade da União quando foram parados por um motorista de aplicativo informando que havia acabado de ser vítima de uma tentativa de roubo.

Depois disso, as equipes localizaram dois homens, em uma motocicleta, apontados como suspeitos do crime. A viatura foi recebida a tiros e se defendeu. Um dos homens que estava na moto conseguiu fugir. O outro foi baleado, conduzido ao HPS 28 de agosto, onde acabou morrendo.

O caso ocorreu na rua 2 de Agosto, Comunidade União, Bairro Parque Dez. O motorista que sofreu a tentativa de roubo compareceu ao 1º DIP, onde o caso foi registrado, para dar seu testemunho sobre os fatos. Um revólver calibre 32 foi apreendido, juntamente com porções de entorpecentes.

A Corregedoria Geral do Sistema de Segurança informa que, como é padrão em todos os casos de intervenção policial, uma sindicância é instaurada paralelamente ao inquérito policial para melhor esclarecimento dos fatos.