image


Crime

PM morta já havia oficializado ameaças feitas pelo seu assassino

O polícial militar foi afastado imediatamente de suas funções
image Crédito: Da Redação
Fonte: Da Redação - Há 1 semanas

O Sargento M. Sérgio, suspeito de ter assassinado a 3° sargento Alcileide Conceição Costa de Freitas, 44 anos, foi afastado de suas funções e será apresentado ainda hoje, 10, na Delegacia Especializada em Homícidios e Sequestros (DEHS). Em um boletim de ocorrência divulgado à imprensa, a policial militar já havia denunciado o colega de trabalho por ameaças. 

A denúncia relata que o policial chama a vítima de 'verme'.

"Abre eu olho: tú é o pior verme que existe, e tu sabe o que acontece com os vermes", dizia o Boletim de Ocorrência.  

O boletim informa que um dos policiais deveria ser transferido para o 21° DIP, como providência diante da denúncia.

A motivação do crime ainda não foi relatado, mas a corporação afirma havia uma animosidade entre ambos. 

Alcileide Conceição Costa de Freitas, 44 anos, era polícial militar há 15 anos e morava no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus. 

 

O corpo da vítima foi removido do SPA Alvorada pelo Instituto Médico Legal. No local, a família lamentava o ocorrido e a tia da vítima chamou o policial militar de 'descontrolado'. 

Mesmo após divulgação do Boletim de Ocorrência, Polícia Militar afirma que a corporação não tinha conhecimento de desentendimentos entres os militares

Ressaltamos que a Corporação não tinha conhecimento de qualquer tipo de desentendimento entre os militares. Por envolver policiais militares da ativa, em serviço, no interior do quartel, o suposto crime contra a vida se caracteriza como crime propriamente militar, com tipicidade indireta no art. 9º, II, “a” do Código Penal, atraindo as atribuições de Polícia Judiciária Militar.

De modo que a competência para presidir as investigações fica sob responsabilidade da autoridade de polícia judiciária militar, nos termos do art. 144, §4º, in fine da CF.O sargento ficará à disposição da Polícia Judiciária Militar no Núcleo Prisional da Polícia Militar (NIPPM). 

Tags