image


Operação Gleba

Cinco funcionários da Sect são alvos de busca e apreensão

Suspeitos foram notificados a prestar depoimento, mas não tiveram seus nomes veiculados
image Crédito: Divulgação
Fonte: Ana Kelly Franco - Há 1 semanas

Funcionários da Secretaria de Estado das Cidades e Territórios (SECT) foram alvos de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira, 5, na Operação Gleba da Polícia Civil do Amazonas. Os servidores são suspeitos de participar de uma organização criminosa que vendia ilegalmente terras em Manaus.

Foram cumpridos 8 mandados de busca prisão na casa dos indiciados. Os suspeitos foram notificados a prestar depoimento.

Em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, 4, foram apresentados detalhes da operação, os nomes dos envolvidos não foram divulgados por conta que a terceira fase que vem correndo de forma sigilosa.

Segundo o delegado títular da Delegacia Especializada em Combate à Corrupção (Deccor), Guilherme Torres, as ações criminosas aconteciam dentro da secretaria.  “Essa é uma operação que visa desarticular uma facção criminosa que atuava em uma secretaria, e que utilizavam da facilidade do quadro para a cometer crimes. Uma ação criminosa que envolviam desde o protocolo até chefia de gabinete”.

Ainda segundo o delegado, “foram encontrados na casa de um dos suspeitos, títulos de terra em branco que eram utilizados para ‘esquentar’ documentos. Eles desmembravam terrenos grandes e colocavam em nome de terceiros para depois remembrar os processos que eram reagrupados em um só”.

Em nota a SECT informou que não compactua com irregularidades e vai apurar suposta participação de funcionários em Processo Administrativo com essa finalidade.

Leia a nota na íntegra 

A Secretaria de Estado das Cidades e Territórios (SECT) informa que, desde 2019, tem adotado medidas de reestruturação e transparência nos procedimentos de regularização fundiária. O órgão não compactua com irregularidades e vai apurar suposta participação de funcionários em Processo Administrativo com essa finalidade.

As ações conduzidas pela Secretaria tem o apoio do grupo de trabalho criado por determinação do governador Wilson Lima, com a participação da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e Secretarias do Meio Ambiente (Sema), Produção Rural (Sepror) e de Segurança Pública (SSP-AM). Entre as medidas adotadas, por meio do decreto, foram sobrestados todos os processos administrativos que tinham por objeto a alienação das áreas de titularidade do Estado do Amazonas para fins de regularização fundiária. A emissão de título definitivo, após o término do prazo estabelecido no decreto, só aconteceu após uma rigorosa análise da conformidade, veracidade e autenticidade documental. A SECT passou por mudanças que incluíram também o quadro de servidores. Foram realizadas contratações de técnicos especialistas para suprir as demandas da secretaria, visando sempre oferecer o melhor atendimento ao requerente. Permanentemente é realizada capacitação interna entre os servidores. Os processos físicos estão sendo digitalizados para oferecer maior segurança. Na estrutura física, foram implantadas câmeras de segurança. Em novo endereço, o órgão oferece mais segurança e bem-estar a todos servidores e requerentes.

Tags