image


Crime

‘Ele mostrou as partes íntimas’, diz vítima ao denunciar ex-jogador do Manaus FC

Na ocorrência não existe nenhuma declaração da consumação de estupro
image Crédito: Divulgação
Fonte: Da Redação - Há 1 semanas

“Ele mostrou as partes íntimas e me beijou sem meu consentimento,  pressionando contra a parede”, disse em depoimento uma mulher, que não quis se identificar, ao denunciar o  ex-jogador do Manaus FC,  Rossini, revelado pelo Santos de São Paulo.

O jogador está sendo acusado de estupro e foi enquadrado nos artigos 213 e 214 do Código Penal Brasileiro. O Boletim de Ocorrência (BO) foi feito pela vítima na última terça-feira, 6, mas o atleta teria cometido o crime em junho de 2019.

A vítma disse à polícia que o ex-atacante do clube de futebol ainda perguntou sobre o tamanho e a cor preferida por ela, para que os dois pudessem ter um encontro.  A mulher completou a denúncia, afirmando que mesmo sob empurrões e gritos por ajuda, ele a pressionou contra a parede, para beijá-la. 

Na ocorrência não existe nenhuma declaração da consumação de estupro.

O delegado Mauro Soares, que atua no caso, afirmou que ambos já foram ouvidos e que mais informações divulgadas poderiam atrapalhar o andamento do processo.

O clube onde o atleta atuava, o Manaus FC, divulgou uma nota afirmando não ter tido conhecimento do fato à época.

A instituição e o ex-camisa 10 entraram em acordo para rescisão do contrato do jogador por conta de problemas familiares no dia 8 de maio de 2019, antes do possível estupro.

Confira a nota do Manaus FC

"O Manaus FC vem a público estarrecido com a denúncia de abuso sexual, envolvendo o ex-jogador do clube, Rossini, fato que teria ocorrido em 2019. O clube, em momento algum, teve conhecimento sobre o episódio, sendo surpreendido com o caso divulgado em portais de notícias locais. 

O Manaus FC e toda a sua diretoria estão à disposição das autoridades competentes para os devidos esclarecimentos, contribuindo no que for possível, além de já estar prestando o devido apoio e ajuda necessários à vítima - tanto psicológica quanto jurídica. Por fim, o clube defende e enfatiza que nenhuma mulher merece passar por qualquer tipo de violência, e repudia tal ação."

 

Tags