image


6 anos depois

Jovem que assassinou ex-namorado durante sexo ganha regime semiaberto

Justiça considerou que criminosa não tinha faltas disciplinares ou incidentes pendentes; caso chocou Vilhena-RO em 2015
image Crédito: Reprodução - Vânia Basílio confessou que matou ex-namorado a facadas durante ato sexual em 2015
Fonte: Portal Norte de Notícias - Há 4 semanas

Após confessar que matou o ex-namorado a facadas durante ato sexual em 2015 e ser condenada a 8 anos e quatro meses de prisão, Vânia Basílio Rocha, de 24 anos, ganhou o direito de deixar o presídio feminino de Vilhena, a 706 Km de Porto Velho.

Vânia chegou a ser condenada a 13 anos de prisão, mas a pena foi reduzida depois de recurso da defesa. 

_________________________________

RELACIONADAS

 

+ Preso marido suspeito de assassinar esposa e jogar corpo em porta-malas, em Manaus

 

Dupla é procurada pela polícia pela tentativa de homicídio de casal homoafetivo, em Manaus

 

Homem é morto com vários tiros na frente da esposa, em Iranduba-AM

_________________________________

Ela ficou mais de 6 anos no regime fechado e a nova progressão foi concedida a um ano e meio do fim da pena, o que, segundo a justiça, contabiliza mais de 81% da pena cumprida em regime fechado.

Vânia passou a usar tornozeleira eletrônica e está sob a tutela da mãe.

A decisão da Justiça considerou que a criminosa não tinha faltas disciplinares ou incidentes pendentes.

Por Vânia já ter sido considerada sociopata em laudos, a Justiça também determinou que a reeducanda mantenha o tratamento médico psiquiátrico e também psicológico, enquanto estiver fora do presídio, assim como a utilização regular dos medicamentos específicos.

Em um laudo pericial feito antes da detenta ser liberada, foi atestado que Vânia tem total capacidade de entendimento. O documento também atesta que a detenta compreende clara a necessidade de cumprir as condições e recomendações consignadas para o benefício da progressão, sob pena de voltar ao regime fechado.

A Unidade Prisional Feminina de Vilhena deve fazer o monitoramento eletrônico de Vânia por 24 horas, através da tornozeleira, e que o eventual descumprimento acarretará na imediata regressão ao regime fechado.

Crime, condenação e casamento

No depoimento à polícia, em dezembro de 2015, Vânia falou detalhes do assassinato que chocou a cidade de Vilhena.

A acusada confessou ter matado Marcos Catanio Porto e revelou o desejo de matar alguém.

De acordo com Vânia, três nomes de possíveis vítimas foram colocados em uma lista: um amigo, um 'ficante' e o ex-namorado Marcos.

Marcos foi o escolhido. Ela então ligou para o ex alegando que queria se despedir, pois iria embora para outro estado. Vânia colocou uma faca de cozinha dentro de uma bolsa e foi para a casa da vítima, que havia aceitado receber a visita. No local, o casal foi para o quarto e, durante as preliminares sexuais, esfaqueou o ex-namorado.

Crédito: Reprodução - Marcos Porto

 

O irmão dele estava na casa, ouviu os gritos e ainda conseguiu quebrar a janela do quarto para tentar socorrer Marcos. Já era tarde.

Vânia ficoufoi para o banheiro até a chegada da polícia. A perícia no corpo de Marcos revelou que ele foi assassinado com 11 facadas.

Laudo realizado meses depois da prisão apontou que Vânia é sociopata. No júri, em setembro de 2016, a acusada demonstrou fúria ao ouvir a sentença.

Em 2019, Vânia conseguiu autorização judicial para casar. Na cerimônia, ela usou o uniforme prisional para dizer "sim" ao noivo, que também era presidiário.

_________________________

ACESSE TAMBÉM

As mais lidas do dia

Polícia prende suspeitos da morte do cantor de forró 'Romarinho Mac', em Manaus

 

Oitava parcela do ‘Auxílio Manauara’ começa a ser paga nesta quinta

 

Ministério da Saúde recua e volta a liberar vacinação de adolescentes

 

Nascidos em março recebem nesta quinta a 6ª rodada do auxílio emergencial

 

Sine Manaus e AM divulgam para esta quinta-feira 147 vagas de emprego

Tags