image


Avaliação

Mesmo com juros mais altos, mão de obra da construção civil no AM deve fechar 2021 com saldo de mais de 2 mil vagas, diz Sinduscon

De acordo com o Índice Nacional da Construção Civil, o Amazonas foi o segundo Estado com alta nos materiais de construção
image Crédito: Divulgação/Marcio James/Semcom- Obras de construção de apartamentos em Manaus
Fonte: Ana Kelly Franco - Há 2 semanas

O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) divulgou que o Amazonas é o segundo estado do país com alta nos preços de materiais de construção. Apesar de juros e inflação em alta no país, o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (Sinduscon-AM) avalia 2021 de forma positiva e destaca a geração de vagas de trabalho.

Em setembro, o Índice Nacional da Construção Civil (INCC) foi de 0,88%, a menor taxa de 2021 e 0,11 ponto percentual abaixo da taxa do mês anterior, 0,99%.

Também em setembro, o custo da construção no Amazonas por metro quadrado foi de R$ 1.417,92.

O INCC é uma taxa calculada todo mês pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para medir o aumento dos custos dos insumos utilizados em construções habitacionais.

_________________________________

RELACIONADAS

+ Em Coari, construção de meio-fio e sarjeta vão custar mais R$ 5 milhões

 Custos da construção sobem 0,85% em maio, no Amazonas, afirma IBGE

Após perda das ocupações, postos da construção crescem 12,4% no AM

________________________________

Para o presidente do Sinduscon-AM, Frank Souza, a alta nas taxas não interfere nas construções e vagas de trabalho em Manaus.

"A geração de  emprego na construção civil neste ano está evoluindo muito bem, pois trabalhamos a longo prazo. Foi feita uma boa venda no ramo imobiliário, além das obras de infraestrutura no Estado e do município, isso tem ofertado vagas positivas no setor. Iremos ter em 2021 um saldo positivo de mais de 2 mil vagas, somos o terceiro setor que mais contrata no país e no Estado", disse Frank. 

Sobre a alta dos insumos no país, o presidente da Sinduscon avaliou reajuste de 10% como uma reequilíbrio normal.

 "A Caixa Econômica e o Governo Federal realizaram um reequilíbrio nos valores para determinadas regiões do Brasil. Com o aumento dos preços dos insumos, teve que reequilibrar e o governo aumentou em média 10% o valor anterior, por exemplo. Na região norte os valores das moradias subiu de R$ 190 mil para R$ 209 mil o custo da construção de uma moradia no estado", disse. 

______________________________

ACESSE TAMBÉM

As mais acessadas do dia 

População fica mais de uma hora sem transporte coletivo em várias zonas de Manaus

 

Iranduba será o primeiro município do AM a receber a central de atendimento de resíduos sólidos

 

Em Manaus, multidão se aglomera em frente ao Hemoam para doar sangue em troca de ingresso para assistir à Seleção

 

Em Manaus, faixa Liberada na avenida do Samba estará suspensa nesta quinta

Tags