image


Indústria

Projeto da LG pode retornar à pauta do CAS dia 30 de junho, diz Suframa

Proposta de investimento teve análise interrompida na última reunião do conselho pelo representante do Ministério da Economia
image Crédito: Divulgação
Fonte: Jefter Guerra - Há 2 semanas

Após uma semana de ter o seu projeto industrial retirado da pauta da reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS) pelo secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, a empresa LG  Electronics do Brasil terá o mesmo projeto de volta à pauta no próximo dia 30 de junho, ou ainda em reunião extraordinária do CAS, que poderá ser convocada. 

Existe também a opção de o projeto ser aprovado ad referendum, que é um termo jurídico que diz que o projeto está sujeito à aceitação posterior por parte de um colegiado (diz-se de ato tomado isoladamente com base no Art. 16, IV do Regimento Interno do CAS). A afirmação é da assessoria da Superintendência da Zona Franca de Manaus  (Suframa). 

O Portal Norte de Notícia entrou em contato com o Ministério da Economia, mas até o fechamento desta edição não obteve retorno. Já a assessoria da LG disse que está aguardando a próxima reunião do CAS para tomar a decisão do destino da produção de notebooks e monitores.   

Foco LG

Após a aprovação do seu projeto, a empresa LG pretende instalar a produção de notebooks e monitores na Zona Franca de Manaus (ZFM) gerando mais de 300 empregos diretos e indiretos. 

No Amazonas, a empresa já produz aparelhos de ar-condicionado, geladeiras e outros eletrodomésticos da chamada linha branca.

Neste projeto de expansão, a fábrica pretende transferir a produção de microcomputadores portáteis, monitores de vídeo com tela de LCD, unidades digitais de processamento de pequeno porte com monitores de vídeo e unidades de memórias montadas em um mesmo corpo ou gabinete, que era feitos na unidade instalada na cidade paulista de Taubaté para o Polo Industrial de Manaus (PIM), com investimentos de R$ 325 milhões.

Repercussão do caso

A postura do secretário Carlos Costa em brecar a aprovação da proposta na reunião do CAS não foi bem recebida por dirigentes empresariais e autoridades locais. O secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório Veiga, por exemplo, não escondeu sua insatisfação.

Ele, que coordenou a reunião do Codam desta quinta e aprovou o mesmo projeto da LG no âmbito estadual, disse que ficou surpreso com a postura do representante do Ministério da Economia. "Esperamos que o secretário devolva o projeto à pauta na próxima reunião do CAS, uma vez que essa pauta já foi pré-aprovada e submetida ao Conselho do Codam. Entretanto, da maneira como foi  feita, nos pareceu rápido, não esperávamos uma vez que já tinha sido aprovada em instâncias anteriores", disse Veiga, que esteve presente à reunião do CAS. 

“Embora gere uma tensão inicial, mas eu tenho certeza que não foi a intenção do Ministério da Economia de brecar investimentos no nosso Estado. Mesmo que pareça isso em uma primeira olhada, mas não é. Entretanto, demanda uma conversa mais aprofundada de todos os segmentos, seja do governo ou da indústria e do próprio comércio para que a gente possa encontrar meios para que esse projeto seja liberado e implementado o mais rápido possível, com a devida compreensão de todas as partes”, acrescentou o titular da Sedecti.

Jório Veiga disse que está à disposição para trabalhar junto com a Suframa, a Indústrias e todos os outros segmentos e sindicatos dos trabalhadores para que possamos ajustar os processos para que situações como essas não voltem ocorrer tão cedo. 

Tags