image


Pandemia

Pelo segundo ano consecutivo, Festival de Parintins pode ser cancelado

Um auxílio emergencial está sendo discutido entre o governo e dirigentes dos bois
image Crédito: Montagem
Fonte: Jefter Guerra - Há 3 semanas

Pelo segundo ano consecutivo, o Festival Folclórico de Parintins (município  369 quilômetros distante de Manaus), que é realizado anualmente no último final de semana de junho, pode ser cancelado por conta da possibilidade de uma terceira onda da Covid-19 no Amazonas.  

A declaração foi feita esta semana pelo Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, Marco Apolo, ao confirmar, em entrevista ao Portal Norte de Notícias, que já está conversando com os presidentes dos bumbás e o diálogo sinaliza para a não realização do evento por conta do cenário da crise na sanitária do Estado. 

“Se o festival não for promovido, será realizada uma ação de auxílio emergencial aos bumbás de forma que os profissionais envolvidos não fiquem desassistidos”, disse o secretário, ao ressaltar que a medida é para contornar os prejuízos econômicos que o cancelamento do evento gerará à festa que é conhecida mundialmente.

Com a fala do secretário, a equipe de reportagem do Portal Norte Notícias procurou os presidentes dos bois Garantido e Caprichoso para repercutir a decisão.

Os dirigentes se posicionaram a favor a decisão do governo, mas que pedem que seja criado uma política pública emergencial para amparar financeiramente os profissionais da cultura que dependem do Festival Folclórico. 

Garantido

De acordo com o presidente do boi Garantido, Antônio Andrade Barbosa, a decisão do governo será bem vinda, uma vez que, como se está prevendo uma terceira onda, seria uma loucura realizar o evento. “Seria de muita irresponsabilidade colocar em risco a saúde dos brincantes e dos profissionais que ali estão trabalhando pelos seus bois. Uma tragédia”, respondeu.

Andrade disse que, atualmente, o Festival de Parintins representa 75% do Produto Interno Bruto (PIB) do município. “O turismo, que é praticado na região, acontece muito por conta da festa e das outras manifestações culturais, como o Círio de Nossa Senhora do Carmo. Então, a cultura é a principal indústria econômica, e, mesmo com o auxílio, sem o festival, teremos um prejuízo enorme em relação aos trabalhadores”, concluiu.

'Prejuízo incalculável'

Para o presidente do Boi Caprichoso, Jender Lobato, o prejuízo da não realização do festival será incalculável para o município e todo o Estado. “Principalmente quem mais sentirá na pele são os nossos artistas que sobrevivem todo o ano com o dinheiro do evento.  Então, a gente precisa pensar, junto ao governo, uma possibilidade de um auxílio emergencial para esses artistas”, defendeu.

Lobato afirma que muitos dos profissionais da cidade não foram contemplados com o auxílio emergencial do governo federal. “A gente lamenta, mas precisamos pensar nas pessoas, uma vez que não devemos ser irresponsáveis de colocar as vidas da população parintinense e dos turistas em risco por conta dessa doença perigosa”, acrescentou.       

Boletim Parintins

Confome o boletim da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) desta quarta-feira, 14, o município de Parintins reportou 21 casos de infecções por Covid-19.

 

Tags