image


Atendimento

Hospital Delphina Aziz volta a receber pacientes não-Covid

O anúncio foi feito pelo governador durante live realizada para apresentar novas flexibilizações nas medidas de restrição de circulação de pessoas
image Crédito: Divulgação
Fonte: Da Redação - Há 7 dias

O Hospital Delphina Aziz começa a receber nesta sexta-feira, 14, pacientes não-Covid de outras unidades. O anúncio foi feito pelo governador Wilson Lima durante live realizada no início da tarde de hoje para apresentar novas flexibilizações nas medidas de restrição de circulação de pessoas.

“Já foi reservada uma ala para que esses pacientes possam ser recebidos sob a supervisão da Fundação de Vigilância em Saúde e sob a coordenação dos profissionais da Secretaria de Saúde” informou o governador.

Por conta da queda na taxa de ocupação dos leitos por pacientes acometidos pela covid, cerca de 56 leitos clínicos serão reabertos para atendimento de pessoas com outras doenças ou por outros motivos.

O Hospital Nilton Lins será mantido como referência Covid-19, mas já estão sendo feitas tratativas para que no futuro também possa ser híbrido, já que vai ficar ativo por mais algum tempo.

Ocupação

Conforme Boletim Epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), divulgado na quinta-feira, 13, a taxa de ocupação de leitos de Covid-19 da rede estadual estava em 54,55%, para UTI, e 32,38%, para leitos clínicos. Já a taxa relativa a leitos não Covid estava em 85,23%, para UTI, e 82,40%, para leitos clínicos.

No hospital Delphina Aziz, a ocupação de leitos na quinta-feira era 59,9% para UTI e 44,8% para leitos clínicos. A unidade estava com 120 leitos clínicos e 71 de UTI livres.

Reorganização da unidade

Com a flexibilização na circulação de pessoas, houve um aumento na rede de urgência e emergência de atendimentos não Covid tanto na capital como no interior, demandando a reconfiguração da rede de saúde para comportar a necessidade apresentada.

A partir de 1º de junho, o Delphina Aziz inicia o projeto de funcionamento híbrido, que está sendo repactuado entre a SES-AM e o Instituto de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH). O foco da unidade será principalmente para cirurgias, mas também consultas especializadas e exames de imagens.

“Uma parte do hospital estará preparada para Covid-19, principalmente dos pacientes que ainda estão internados lá, e a outra parte trabalhará as outras patologias, principalmente com perfil cirúrgico”, salientou o secretário, destacando que todos os seis andares do hospital colocados em operação para atender pacientes covid serão mantidos na reorganização.

A proposta da SES-AM visa assegurar melhor resolutividade na assistência e aproveitar 100% da capacidade instalada do hospital com o tratamento de pacientes de Covid-19, na retaguarda clínica e como referência cirúrgica à rede estadual.

*Com informações da assessoria

Tags